Prevenir sem precisar remediar – Evite o câncer de pele no verão

Prevenir sem precisar remediar – Evite o câncer de pele no verão

O verão está aqui, e é a hora ideal de pôr o biquíni e ir curtir a praia e a piscina. Mas nessa sanha de curtir a estação acabamos dando mole, e esquecemos que sol demais também pode provocar problemas sérios, principalmente quando expomos demais a pele.

Um fato pouco lembrado é que a pele é o maior órgão do nosso corpo. Ela se estende e se conecta quase que diretamente com inúmeros outros órgãos, músculos, etc. Dessa forma, o surgimento de um câncer na pele pode representar um perigo significativo, já que há o risco de um tumor maligno invadir outros órgãos e, assim, apresentando uma possibilidade grande de metástase.

Diferenciando sob a luz

Por isso, o melanoma é um dos tipos mais perigosos de câncer. No entanto, é preciso apontar que existe mais de um tipo de câncer de pele, distintos entre melanoma e não-melanoma. O tipo de maior incidência, o não-melanoma, é também aquele com menor letalidade, e caracteriza-se por um crescimento anormal e descontrolado das células epiteliais.

Muito mais agressivo e com uma taxa de letalidade muito maior, o câncer de pele melanoma, felizmente, também é mais raro. Seu surgimento normalmente se dá através de uma pinta escura ou pode surgir sobre uma pinta, ou mesmo um sinal pré-existente que pode crescer, mudar de cor ou apresentar sangramento.

Alguns grupos de pessoas estão mais expostas ao melanoma do que outras. Naturalmente, as pessoas de pele, olhos e cabelos muito claros sofrem mais com a exposição ao sol. Ou seja, o tipo de pessoa cuja pele chega a queimar sem sequer se expor diretamente ou durante muito tempo ao sol precisa prestar atenção em particular aos melanomas.

Identificando e prevenindo

Uma das melhores maneiras de combater o câncer de pele é, como com todos os outros tipos de câncer, prevenindo. Para isso, existe um exame indicado, que pode realizar o diagnóstico e prevenção da doença com grande precisão. Trata-se da dermatoscopia digital.

Com ela, é possível identificar lesões de risco muito antes do olho do dermatologista. Utilizando uma técnica de mapeamento digital da pele, é possível realizar o registro e documentação de todas as manchas e lesões suspeitas que possam evoluir para um câncer.

Esse acompanhamento, feito com o passar do tempo, aumenta bastante a eficácia na identificação de novas lesões ou mudanças importantes que possam ser imperceptíveis a olho nu. A diferença da eficiência da dermatoscopia digital para a manual é significativa: na primeira, as imagens que serão armazenadas podem ser aumentadas em 20 a 70 vezes. No manual, o aumento é de 10 vezes e nem sempre é possível armazenar os dados.

A dermatoscopia é um exame bastante completo, e pode ser inclusive usado para outras finalidades além de manter vigilância sobre manchas. Ela também pode ser usada para diagnosticar outros problemas de pele e cabelos, como diferenciar nevos de queratose seborreica, lentigos (pigmentações que se parecem com sardas), e até mesmo patologias relacionadas à queda de cabelos.

A Clínica IDEAL oferece os profissionais mais qualificados para orientar sobre a prevenção do câncer de pele. Entre em contato conosco e agende sua consulta.